Páscoa, o renascimento de Cristo

15/04

No dia 16 de abril é  Domingo de Páscoa. Nesta época os cristãos celebram o renascimento de Jesus. Essencialmente é a maior festa cristã depois do Natal. Ela recorda o grande mistério da ressurreição de Cristo, Sua vitória sobre a morte.

Nos lares, a Semana Santa ‘dita’ também, cardápios especiais para o período, onde, segundo a tradição católica, sugere-se a abstinência no consumo de  carnes, em geral. Os pescados ganham vez e o bacalhau, por exemplo, é o mais requisitado, evocando mais uma tradição. Esta, herdada dos nossos colonizadores portugueses e suas valiosas receitas  com o peixe, sempre importado de águas geladas.

Na Sexta-feira Santa os pratos com o pescado fazem sucesso e são o mote das reuniões familiares em todo o período que antecede a Páscoa.

Os tempos modernos evocam outras tradições ainda mais antigas.  O ovo de Páscoa, feito de chocolates e recheado de bombons deriva de um antigo símbolo da renovação e da fertilidade, bem anterior ao Cristianismo. Na tradição dos povos antigos, o ovo ganhava uma decoração especial. Era pintado à mão e servia para ornamentar as festas do “Equinócio da Primavera”, o tempo em que se comemorava o fim do inverno no Hemisfério Norte.  No século XVIII, o ovo decorado ganhou nova abordagem na França, quando passou a ser recheado com chocolate.  Por tudo isso é que a Páscoa rende tantas iguarias à mesa, em todo o período de celebração.

 

Tradição católica

O fato é que a Páscoa  sempre foi uma festa em família para celebrar a vida que se renova. Na tradição cristã, predominante no Brasil,  há sempre uma ligação da Páscoa com o Natal, que celebra a vida de Jesus como humano  que se fez homem. Enquanto o Natal celebra o nascimento, a Páscoa é o renascimento. O período renova na família a dimensão da vida que temos em Jesus, a partir da ideia de que a morte não é o fim.

Enquanto muitos comemoram apenas o Domingo de Páscoa, Dom Hugo Cavalcanti, capelão do mosteiro de Uberaba Nossa Senhora da Glória e Presidente do Tribunal Interdiocesano, lembra que todo o período da Quaresma, iniciado em 1º de março e vai até a Quinta-feira Santa, é igualmente importante. São 40 dias que devem ser dedicados a orações, renunciar ao supérfluo para estarmos mais próximos a Deus.

“No mundo atual entendemos que a abstinência pode ser feita de outras formas; é uma renúncia a algo material; os excessos da sua vida, algo que você gosta, é algum sacrifício. Não é só deixar de comer carne vermelha e comer peixe”, afirma o Capelão.

História da Quaresma

Por volta do ano 350 d. C., no século IV, a Igreja Católica estabeleceu o tempo de preparação para a Páscoa de 40 dias com o objetivo de oferecer um tempo de preparação maior para a celebração da ressurreição e vitória de Cristo, após todo seu sofrimento e morte. Antes a preparação era de três dias, que permaneceram como o Tríduo Sagrado da Semana Santa: Quinta-feira Santa, Sexta-feira Santa e Sábado Santo.

O número 40 é bastante significativo dentro das Sagradas Escrituras. A Igreja relaciona esses 40 dias com os 40 anos de peregrinação do povo hebreu rumo à Terra Prometida e a travessia do Mar Vermelho; os 40 dias de jejum de Moisés no Monte Sinai; os dias que Elias rumou ao Monte Horeb; os 40 dias que Jesus passou no deserto e a duração do dilúvio de  40 dias e 40 noites.

Mensagem da Igreja

Dom Hugo envia como mensagem da Igreja para este período de Quaresma e Páscoa, o tema da Campanha da Fraternidade deste ano “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. Inspirado no Livro do Gênesis (2,15), o lema: “Cultivar e guardar a criação”.

A Campanha evidencia a beleza natural e a diversidade do nosso país, por meio dos seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal, que juntos abrigam cerca de 14% da biodiversidade de plantas do mundo.

Dom Hugo lembra que precisamos todos preservar o ciclo da natureza; não podemos continuar neste modo desenfreado, sem responsabilidade ao usarmos os recursos naturais. “Cuidar da natureza também é renovar a vida”, diz.

 

 

Por Rosely Rocha – Assessoria de Imprensa Bem Brasi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *